MC 23 - Gênero e Ciência: Possibilidades com fontes cinematográficas

Autores

Eliza Teixeira de Toledo;

Mestra em História - Doutoranda em História da Ciência

UFMG

elizattoledo@gmail.com

Isabela de Oliveira Dornelas

Mestranda em História

UFMG

isadornelas@gmail.com

Ementa

Por meio da mobilização de produções cinematográficas como fontes históricas pretendemos não apenas debater os sentidos que a história pode dar a tais fontes de maneira geral, introduzindo essa reflexão em relação a dois eixos da investigação histórica: História das Ciências e História e Gênero.

Em um primeiro momento será debatido a potencialidade dos filmes enquanto documentos que nos permitem problematizar momentos históricos por eles narrados e procuram relatar “a ideia que se fazia de uma época ou de um acontecimento” (FERRO, 1965: 331-332). Mais ainda o estudo histórico das produções cinematográficas nos falam também do seu presente, “do momento em que foram feitas e não propriamente pela representação do passado em si” (MORETTIN, 2003: 31). Nesse sentido, debateremos de como épocas e acontecimentos foram representados e ressignificados no contexto no qual foram produzidos.

Para o intuito de nossa pesquisa apoiaremos nossas discussões nos longa metragens A Garota Dinamarquesa (The Danish Girl, 2015) e Augustine (2012) abordando em ambas produções o aspecto medicalizador de questões de gênero buscando alinhavar com o contexto de produção destes filmes.


Cronograma das atividades:

12 horas/aula

n/a

Bibliografia

FERRO, M. et al. L’Experience de La Grande Guerre. Annales. Économies, Sociétés,

Civilisations, Paris, v. 20, n. 2, p. 327-336, mars/avr. 1965; (Texto será disponibilizado em

Português)

MORETTIN, Eduardo Victório. História, Quadros de Debate, Curitiba, nº 38 p. 11-42.

2003. Editora UFPR.

ROHDEN, Fabíola. O império dos hormônios e a construção da diferença entre os sexos.

História Ciência Saúde - Manguinhos,  Rio de Janeiro,  v. 15, supl., 2008, p.133-152.

SALLES, Ana Cristina Teixeira da Costa; CECCARELLI, Paulo Roberto. Reverso, Belo

Horizonte, ano 32, n. 60, 2010, p.15-24.

TOLEDO, Eliza Teixeira de; MARQUES, R. C. Augustine, A Perfeita Histérica?

Construção Da Histeria Como A Doença Feminina Do Século XIX. In: Vimieiro-Gomes,

Ana Carolina; Carvalho, Ely B.. (Org.). História da Ciência e Cinema 5. 1ed. Belo

Horizonte: Fino Traço, 2014, v. 5, p. 1-.

  • Locais e datas

    • 8 de Maio de 2017
      08:00 - 12:00

      Aud. Letras

    • 9 de Maio de 2017
      08:00 - 12:00

      Aud. Letras

    • 10 de Maio de 2017
      08:00 - 12:00

      Sala 3013/CEM

Apoios

UFMG
Fafich
Temporalidades
PPGHIS
Varia História
CEPAMM
Núcleo História Oral
CEM
Sem Rumo
Brasiliana
Iepha