MC 03 - A formação do profissional de história: desafios e perspectivas do mercado de trabalho no Brasil

Autores

André Ricardo Barbosa Duarte

Doutorando em Educação

UFMG

historiadoresprofissionais@gmail.com

Paula Ricelle de Oliveira

Doutoranda em Estudos de Linguagens.

Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - CEFET/MG

historiadoresprofissionais@gmail.com

Ementa

Ao ingressar no curso de História os discentes se deparam com a necessidade de definir sua trajetória de formação acadêmica entre optar pelo currículo do bacharelado e/ou licenciatura. Assim sendo, a presente proposta de minicurso tem por objetivo discutir a profissão do professor de História e do Historiador, tendo em vista as demandas e atuação no mercado de trabalho, tanto no setor público, quanto privado. Ao graduar em História quais são as possibilidades e nichos de mercado para esses novos profissionais? Quais são as demandas e exigências do mercado para ingresso e permanência na profissão? Para tanto, será apresentado e discutido a situação atual do mercado para professor de História e Historiador, traçando a memória de formação do trabalho docente no Brasil e a trajetória de reconhecimento do historiador como profissão. Desta maneira, o percurso formativo desta proposta abordará um conjunto de dados obtidos pelo Censo da Educação Básica e do Ensino superior elaborado pelo Instituto de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), as informações da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (PNDA) elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) elaborada pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), bem como as recentes pesquisas, tais como Alves e Pinto (2011); Cara (2011); Gatti e Barreto (2009) e Gatti (2010; 2011) e Oliveira (2010; 2011) que apontam para a escassez de docentes nas redes públicas e privadas e as condições de trabalho desses profissionais. Será, também, abordada é discutida a trajetória e memória dos projetos de lei tramitados nas instâncias legislativas, com foco no Projeto de Lei nº 4.699/2012, que tem o objetivo de reconhecer e regulamentar o métier do historiador, logo os espaços de atuações. À vista disso, será apontado que o ofício do historiador vai além da carreira acadêmica, há espaços no mercado que permite esses profissionais exercerem suas funções e ampliar o leque de atuação.


Cronograma das atividades:

6 horas/aula

1º dia:
Formação do trabalho docente no Brasil.

2º dia:
Debate sobre o Projeto de Lei nº 4.699/2012.

3º dia:
Atuais demandas e atuação no mercado de trabalho (público/privado);
Debate sobre as perspectivas e expectativas dos cursistas acerca dos temas e informações trabalhados durante o minicurso.

Bibliografia

ALVES, Tiago; PINTO, José. M. R. Remuneração e características do trabalho docente no Brasil: um aporte. In. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 143, maio/ago. 2011. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742011000200014> . Acesso em 07 de novembro de 2016.
BANNER JR., James M. Being a Historian: An Introduction to the Professional World of History. Nova York: Cambridge University Press, 2012.
CARA, Daniel Tojeira. O custo da qualidade (Educação Básica). Brasília, 2011. Disponível em: < http://www.cartacapital.com.br/educacao/carta-fundamental-arquivo/o-custo-da-qualidade> . Acesso em 07 de novembro de 2016.
BARROS, José D’Assunção. Teoria e formação do historiador. In. Revista Teias, v. 11 • n. 23 • p. 41-62 • set./dez. 2010. Disponível em < https://www.academia.edu/10884858/TEORIA_E_FORMA%C3%87%C3%83O_DO_HISTORIADOR> Acesso em 10 nov. 2015.
BRASIL. Câmara dos deputados. Projeto de Lei nº 4.699/2012. Regulamenta a profissão de historiador e dá outras providências. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=559424 . Acesso em 20 out. 2015.
FLEURI, Reinaldo Matias. Perfil profissional docente no Brasil: metodologias e categorias de pesquisas. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2015. 40 p. – (Série Documental. Relatos de Pesquisa, ISSN 0140-6551; n. 40). Disponível em: < http://www.gestrado.net.br/images/publicacoes/99/RelatorioINEP_PerfilProfissionalDocentenoBrasil.pdf> . Acesso em 24 nov. 2015.
GATTI, B. A.; BARRETO, Elba. S. S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009. Disponível em < http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001846/184682por.pdf> Acesso em 07 de novembro de 2016.
GATTI, Bernardete A. Formação de Professores no Brasil: Características e Problemas. In. Educação e Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out.-dez. 2010. Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/es/v31n113/16.pdf>. Acesso em 01 de abril de 2012.
GATTI, Bernardete A. Estudos quantitativos em Educação. In: GARCIA, Walter E. (Org). Perfis da Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2011, p. 79-104.
GRAFTON, Anthony; GROSSMAN Jim. No more plan B: A Very Modest Proposal for Graduate Programs in History. Perspective on History, 2011. Disponível em < http://www.niu.edu/history/docs/graddocs/NoMorePlanB.pdf> Acesso em 13 de maio de 2016.
OLIVEIRA, Dalila Andrade. Os trabalhadores da educação e a construção política da profissão no Brasil. In. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, nº especial, p. 17-35, 2010. Editora UFPR.
OLIVEIRA, Dalila Andrade. A nova regulação de forças no interior da escola: carreira, formação e avaliação docente. In: Revista Brasileira de Política e Administração da Educação. Vol. 27, nº 1, p. 25-38, jan/abr 2011.
OLIVEIRA, Margarida Maria Dias de. Licenciado em História, bacharel em História, Historiador: desafios e perspectivas em torno de um profissional. Revista História Hoje. São Paulo, n 4. Out. 2004.

  • Locais e datas

    • 8 de Maio de 2017
      08:00 - 12:00

      Sala 3042

    • 9 de Maio de 2017
      08:00 - 10:00

      Sala 3010

Apoios

UFMG
Fafich
Temporalidades
PPGHIS
Varia História
CEPAMM
Núcleo História Oral
CEM
Sem Rumo
Brasiliana
Iepha